• sábado, 22 de maio de 2010

    Desabafo de uma professora

    Considerando a gravidade da situação em que se encontram os professores em greve estou promovendo campanha de apoio à categoria pela obtenção de resposta efetiva por parte do Estado (governo).
    Segue manifesto que estou distribuindo e convido a quem se dispor que envie para autoridades e espalhe pela Internet e meios de comunicação esse texto ou outro de sua elaboração.
    Não da para ver a postura ditatorial do governo sem protestar !!
    Fundadora da UTE, uma das lideres das greves de 1979 e de 1980, hoje professora aposentada, encontro-me indignada com a atuação do governo PSDB de MG. Esse governo não cumpre a Lei 11.738, aprovada no Congresso Nacional e que fixou o piso salarial nacional, e reedita a ditadura punindo professores em greve que cobram o que é legal. Esta greve justa e inadiável expõe o descaso do governo (predominantemente do PSDB) pela educação em mais de 20 anos. Para os professores, uma luta difícil por dignidade que completa mais de 30 anos desde as memoráveis greves de 1979 e de 1980. Para famílias, pais e alunos, um sofrimento de ver a situação dos professores e a perda do direito de ter educação de qualidade.
    A greve acontece e continua por mais de 30 dias porque o governo insiste em dissimular, em adiar, em não formular resposta concreta no sentido de que se cumpra a Lei do Piso Salarial Nacional. O que resta aos professores?A vida é para quem topa qualquer parada. Não para quem pára em qualquer topada (Bob Marley).Temos de ensinar isso aos nossos alunos e companheiros. Aparada é enfrentar o desrespeito, é ser forte para fazer caminhos mais democráticos e justos. Tem dor sim, e é preciso suportá-la.
    Em 1980 cantavamos "Quando o muro separa , a ponte une, se a vingança encara, o remorso pune, se a força é sua, um dia ela é nossa". Agora em 2010, voltamos , porque não da mais para segurar: "você corta um verso , eu escrevo outro.... você me prende vivo, eu escapo morto, de repente olha eu de novo, pertubando a paz , exigindo o troco.... que medo você tem de nós...olha ai...".
    A indignação e a repulsa crescem em relação a esse governo PSDB que desrespeita a lei e pune professores em greve. Nesse momento, é lamentável que o poder judiciário, em uma de suas percelas, funcione para legitimar atos antidemocráticos do governo de Minas Gerais contra a greve dos professores.
    Abaixo o ato do Tribunal de Justiça que elevou a pena de multa de 10 mil reais para 30 mil para cada dia de greve na rede estadual de ensino, iniciada em 8 de abril. Abaixo o bloqueio da conta do Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (Sind-UTE). Pelo respeito aos mestres, pela dignidade da função de educar, pela democracia que temos de construir ainda, pela justiça, pela igualdade, por uma sociedade mais justa, igualitária e socialista. Fora autoritarismo antidemocrático disfarçado!!! Pelo atendimento das reivindicações dos professores do Estado de Minas Gerais!

    Maria Inês de Matos Coelho M148727
    Rua da Bahia , 1759, apto 803 Fone 99779355
    Fonte: http://www.luisnassif.com/forum/topics/desabafo-de-uma-professora?page=1&commentId=2189391%3AComment%3A313156&x=1#2189391Comment313156

    Reações:

    Um comentário:

    1. Mas sabe o que me deixa mais indignado?
      Onde está a grande mídia nessas horas que não cobriram essa greve? Por qual motivo será? Ou estão encobrindo alguém? Será que é por causa das eleições? Será que há algum interesse em NÃO cobrir? Não ouvi ao menos um comentário nõs meios de comunicações referente à greve... No mínimo estranho...Ao menos temos que questionar o porquê dessa"ausencia" de informação!!!!

      ResponderExcluir