• segunda-feira, 30 de agosto de 2010

    Seminário: Situação da juventude é discutida


    Desde a última quinta (26/8), a Cátedra UNESCO de Juventude, Educação e Sociedade realiza o seminário A juventude quer viver: diga não à violência e ao extermínio de jovens. Na tarde desta sexta-feira (27/8) um dos temas discutidos foi Juventude, Direitos Humanos e Políticas Públicas. Dando início à mesa redonda, Janete Cardoso, diretora da Diretoria de Programas de Pastoral, apresentou os palestrantes Marili Quadros Berbet Freire, Sargento da Polícia Militar do DF, Severino do Ramo Moreira Mendes, e Lourival Rodrigues da Silva, do setor de pesquisa da Casa da Juventude Pe. Barbier.
    Marili ressaltou o fato desse assunto não ser só relevante, mas urgente. De acordo com ela, os Direitos Humanos não nasceram com a sociedade, mas foram um processo que foi acontecendo com o passar dos tempos. Disse ainda, que os jovens não têm legislação própria e isso é necessário por serem vulneráveis e frágeis.
    Dando continuidade, Mendes citou o fato da importância da família nesse período da vida, dando a educação e o apoio necessários e ressaltou que políticas públicas como a do Governo do Distrito Federal de dar oportunidade de os PMs realizarem o ensino superior faz com que existam Direitos Humanos na prática.
    Finalizando o evento, Lourival disse da importância das pessoas terem um lugar social e que se não conseguem isto, acabam sendo excluídos. Segundo ele, “o Brasil não tem dado respostas à violência e à exclusão e isso é um grave problema”.


    sexta-feira, 27 de agosto de 2010

    Betânia: nasce mais uma Casa de assessoria à juventude e seus grupos

    Betânia é um lugar onde Jesus conviveu com seus amigos, buscou refúgio e se fortaleceu para seguir sua missão. É neste espírito de partilha que nasceu o Núcleo de Assessoria Juvenil Betânia. Este lugar bíblico tem como significados casa do pobre, casa do pão, casa dos amigos. Essa casa, ainda não física, tem sentido missionário para um grupo de assessores das Pastorais da Juventude que escolheram conviver na opção pela juventude, na partilha do pão e na fraternidade.
    O Núcleo Betânia está a serviço da juventude, prestando assessoria em diversos temas como educação, mística e espiritualidade, formação integral, realidade juvenil e comunicação. Da mesma maneira, está à disposição para propor e acompanhar processos de elaboração de projeto de vida de jovens.
    É composto por assessores que fizeram experiência de grupo de jovens na Pastoral da Juventude e na Pastoral da Juventude Estudantil, participaram de diversas instâncias de organização das Pastorais, auxiliaram na elaboração e execução de cursos formativos, planejamentos, entre outros. Hoje fazem parte do Núcleo: Fabrício Preto (graduado em Letras e estudante de Jornalismo), Marcele Wolf (estudante de Relações Públicas), Márcio Amaral (graduado em Pedagogia e mestrando em Educação), Simone Moreira (graduada em Pedagogia, especialização em Orientação Educacional), Ana Lucélia Dias (graduada em Pedagogia e mestranda em Psicologia), Giovanni Biazzetto (graduando em História), Tiago Klein (graduado em História e mestrando em Educação) e Lucas Trindade (graduando em Sistemas de Informação).
    Estamos nos organizando para melhor atender às necessidades de assessoria aos jovens e, em breve, esperamos contar com mais colaboradores, jovens e adultos em busca de espaço para refletir, rezar e contribuir para que mais adolescentes e jovens possam viver uma experiência comunitária que dê um novo sentido à sua vida.
    Partilhamos nossa alegria em estarmos juntos com a gurizada, oferecendo todo o apoio que, em nossa simplicidade, podemos compartilhar. Quem quiser conhecer um pouco do que temos feito, acesse o blog: http://www.nucleobetania.blogspot.com/.

    quinta-feira, 26 de agosto de 2010

    26 de agosto: Dia “D” de Mobilização do Festival de Música e Poesia da PJ

    Desde o dia 17 de junho estão abertas as inscrições para o 1° Festival Nacional de Música e Poesia A Cor da Juventude - promovido pela Pastoral da Juventude.
    O dia 26 de agosto (quinta-feira) foi escolhido como o dia “D” de Mobilização do Festival. Queremos fortalecer o nosso grito. Queremos a sua participação!!
    Assim, nos ajude espalhando esta notícia. Você também pode trocar a imagem do perfil do seu Orkut pelo logo do Festival; pode reunir os amigos neste dia para produzir o seu vídeo; pode Twittar (@festivalpj); pode divulgar nos programas de rádio de sua cidade, nos jornais, sites, blogs, enfim, em toda a rede.
    O concurso é aberto para qualquer pessoa, grupo ou banda que defenda o direito à vida da juventude. Para participar é preciso fazer um cadastro no site do Festival e gravar um vídeo com a execução de sua música ou declamação da poesia com o tema “Chega de Violência e Extermínio de Jovens”.
    As inscrições encerram no dia 05 de setembro. Jovens de todo o Brasil estão participando. E você vai ficar de fora?
    Participe!! Inscreva logo! Reuna, conte para seus amigos...

    Informações: faleconosco@ACorDaJuventude.com.br



    Regulamento e Inscrições no site

    www.acordajuventude.com.br



    Por

    Coordenação do Festival

    terça-feira, 24 de agosto de 2010

    CARTA PASTORAL DE DOM MOACYR GRECHI PARA AS ELEIÇÕES 2010


    Aos Padres, Religiosos e Religiosas, Seminaristas, Ministros, Coordenadores e Agentes de Pastoral, Lideranças, Leigas e Leigos cristãos das comunidades da Arquidiocese de Porto Velho.
    A Igreja não pode e nem deve omitir-se no campo político. Ela não pode colocar-se no lugar do Estado. Mas também não pode e nem deve ficar de fora na luta pela justiça e pela ética.
    Seria renegar sua fé em Jesus Cristo. É nosso dever incentivar os católicos leigos a se engajarem com responsabilidade na ação política, dando a eles orientações para que exerçam o seu voto com consciência e com ética. A partir destes ensinamentos é que a sociedade deve compreender o engajamento dos líderes da Igreja Católica no combate à corrupção.
    A corrupção eleitoral ainda é um problema enraizado na mentalidade de nosso povo. Os eleitores carecem de educação para a cidadania. É preciso instalar uma nova consciência política iluminada pelo lema que mobilizou os movimentos sociais nos últimos anos: "voto não tem preço, têm conseqüências.". Estamos diante de um grande apelo ao depositar na urna o compromisso com Rondônia e com o Brasil: eleger candidatos idôneos, capazes de orientar nosso Estado e nosso Brasil para novos caminhos, em resposta às necessidades do povo.
    Seja, portanto, um eleitor consciente do valor de seu voto. Que vote pela comunidade e não por interesse ou privilégios individuais ou familiares.
    UM ELEITOR QUE NÃO VENDA O SEU VOTO. Quem vende seu voto por favores, vende sua dignidade humana. O cristão não deve votar em candidato que quer comprar seu voto.
    Consciência não se vende. Queremos ser um eleitor que tenha consciência de seu poder de interferência e decisão na vida da comunidade, que saiba valorizar o seu voto, analisando, refletindo sobre o passado e o presente do candidato tendo em vista um futuro melhor.
    Não basta votar. Não basta mesmo escolhermos uma pessoa de "ficha limpa" por mais fundamental e importante que ela seja. Nossa missão vai além: levar a pessoa "ficha limpa" a ser eficaz e a se manter ética durante o mandato a serviço do bem comum. A Igreja católica não apresenta candidatos/as próprios/as. Qualquer sinal nesta linha deve ser interpelado, em nome dos documentos oficiais de nossos pastores. Indicamos, com força profética, a importância do voto e os critérios que devem valer no nosso compromisso como cristão.

    (Eleições 2010: O chão e o horizonte).

    Que Deus inspire e proteja o povo brasileiro, especialmente os de nossa Arquidiocese, no próximo dia 03 de outubro! Estamos conscientes de que o voto-cidadão, com participação popular, é uma das melhores formas de promover políticas públicas a serviço do bem comum. Somos convocados a uma ação política iluminada pela convicção de que o voto é de responsabilidade pessoal de cada eleitor, diante de sua consciência, da sociedade e de Deus. Que todos, no livre exercício do dever democrático, possam experimentar a proteção materna de Nossa Senhora! Façamos preces pela nossa Pátria e pelo nosso compromisso com o Estado de Rondônia a promover a prosperidade e dignidade de nosso povo.


    Dom Moacyr Grechi
    Arcebispo de Porto Velho

    quarta-feira, 18 de agosto de 2010

    1° Festival Nacional de Música e Poesia - "A Cor da Juventude"

    Informações do Festival Nacional da PJ: A Cor da Juventude 2010:
    Período de Inscrições: 20/06/2010 até 05/09/2010
    Custo: Apenas 10,00 por música e 3,00 por poesia

    Formato do Festival:
    O Festival acontece por meio de vídeos das bandas e poetas postados no YouTube e cadastrados no site do Festival.
    Um corpo de jurados especializados avaliará os trabalhos e os melhores chegarão ao voto popular.
    Trata-se de um Festival de músicas inéditas com o tema: Chega de Violência e Extermínio de Jovens
    As melhores músicas serão exibidas no Programa Arena do Som da Tv Século 21. (em processo de assinatura de contrato)
    Cogita-se também a possibilidade da gravação de um cd com as melhores, tudo depende da arrecadação.
    O vencedor será conhecido até dia 15/11 após as 3 fases do Festival estiverem concluídas.
    Todas as informações estão disponíveis em www.ACorDaJuventude.com.br
    Informações podem ser obtidas por: faleconosco@ACorDaJuventude.com.br





    __________________________________________

    Nota para divulgação no site: http://www.acordajuventude.com.br/

    1° Festival Nacional de Música e Poesia - "A Cor da Juventude"
    Até o dia 05 de setembro estarão abertas as inscrições para o 1° Festival de Música e Poesia – A Cor da Juventude - com o tema “Contra a Violência e o Extermínio de Jovens”.
    Visite o site oficial, consulte o regulamento e saiba como participar!!!
    Pode participar qualquer pessoa, seja de grupo de jovens, banda individual, de qualquer idade e crença, que abracem a causa do direito à vida da juventude. Muitos já se inscreveram, e você, vai ficar de fora??!!
    Então, reúna as pessoas, crie, grave o seu vídeo com a execução de sua música ou recitando sua poesia e nos envie.
    Sonhamos, queremos e estamos construindo a Civilização do Amor com mãos jovens. Confiram nossa rede de Divulgação do Festival...

    Site
    www.acordajuventude.com.br
    Orkut
    Visite e adicione nossa comunidade no Orkut
    Siga-nos no Twitter
    @festivalpj
    Clique e baixe Spot p/ Rádio de Divulgação do Festival
    (Divulgue nas Rádios, em especial nos programas da PJ)


    Por Coordenação do Festival

    segunda-feira, 16 de agosto de 2010

    O Jovem e a Igreja

    Se refletirmos a palavra jovem, várias características nos vêm à cabeça. Podemos pensar em curiosidade, vigor, humor variável, a certeza de um futuro pela frente, ou mesmo uma busca de independência e certa dose de poder. De fato é viver intensamente e, principalmente o experimentar, provar sensações, situações, relações, emoções. Aliás não mais com aquela pureza e desinteresse de criança; agora com mais encrencas, responsabilidades, deveres e até mesmo certa preocupação com a incerteza do futuro.
    Nessa etapa da vida é necessário apoio, porque esse “jovem” muitas vezes está saindo da adolescência ou vivendo esse período, e nesse mundo tão cheio de informações, que nem sempre são positivas, é preciso ter um ambiente adequado em que se possa estar e compartilhar.
    A juventude de hoje busca algo mais que o possa tornar um adulto com sucesso emocional, física e espiritualmente. E por falar nesse crescimento pessoal, é possível destacar algumas instituições com bastante importância para o crescimento dos jovens como a escola, o trabalho, a família, a igreja etc...
    A igreja com certeza é uma instituição diferenciada na qual pode ter definições variadas para cada indivíduo. Pode ser vista como local de encontros, um lugar para ir e sentir-se melhor sem tantas responsabilidades, ou ainda um local para exibir e usar habilidades por auto-satisfação.
    Em meio a estas alternativas e tantas outras há, porém um significado primordial e puro. É na igreja, a casa de Deus, que o jovem vai buscar forças para vencer o mundo, busca a Palavra de Deus para se enriquecer da graça e paz do Senhor. Descobre ali com amigos leais com os quais pode dividir seus momentos bons e ruins, descobrindo assim o conforto e o consolo que só Cristo dá.
    Num mundo tão difícil de viver, com tantas perdas, a igreja de fato vem ocupar um espaço importante na vida do jovem oferecendo a ele suporte para uma rica fonte de transformações positivas neste mundo de caos.
    Esse é nossa missão como Pastoral da Juventude, mostrar aos jovens que ainda não conhecem, um Jesus Jovem e revolucionário, que transforma nossa vida; mostrar aos jovens uma igreja que não é “careta” como muitos pensam mas que ajuda-nos no amadurecimento da fé e da pessoa humana. Por isso devemos viver em comunidade, em grupos de base, dividindo dificuldades, fazendo amizades sinceras e recebendo o mais essencial alimento, o espiritual, assim sendo certamente é possível ver não apenas um jovem como também um adulto mais feliz. Pois quando o desenrolar da juventude acontece na igreja, a conseqüência é um adulto mais seguro, maduro e pleno, capaz de adaptar-se melhor as dificuldades e perdas da vida. E isso no mundo em que vivemos conta muito.



    sábado, 14 de agosto de 2010

    Novo Site da PJ Nacional está no ar!

    Olá amigas e amigos da Pastoral da Juventude desse Brasil...
    É com muita alegria que hoje, chega aos nossos olhos e corações o novo site da PJ Nacional.
    Queremos com essa ferramenta chegar ainda mais perto dos nossos grupos e suscitar na juventude organizada em pastoral o desejo e a vontade de apresentar seu rosto, sua história, sua vida em comunidade.
    Faça você também parte desse circuito que cria em todos nós o desejo pela vida e da vida em abundância. Divulgue, participe, cadastre-se!
    Acesse: www.pj.org.br
    Um forte abraço na certeza do encontro.

    Equipe do projeto Teias da Comunicação


    Autor/Fonte: Equipe do projeto Teias da Comunicação

    Semana Nacional da Família Termina no Domingo

    “Família, formadora de valores humanos e cristãos”. Este é o tema da Semana Nacional da Família, que começa no próximo domingo, 8, dia dos pais. Esta é a 14ª edição do evento e repete o tema do 6º Encontro Mundial das Famílias, que aconteceu no México, em janeiro de 2009.“Nessa semana, as comunidades eclesiais, escolas, clubes, associações, animadas pela Pastoral Familiar, têm um espaço para preparar e organizar programações diversas, revigorando a integração familiar e ressaltando as virtudes e valores da família“, disse o presidente da Comissão Episcopal para a Vida e a Família da CNBB, dom Orlando Brandes.
    “Queremos criar cada vez mais a tradição da Semana Nacional da Família, nas dioceses e nas paróquias de todo o Brasil. Fazer com que as famílias possam refletir sobre os temas, não somente na Semana Nacional, mas todos os dias”, completou dom Orlando.
    Durante a semana, as paróquias trabalharão o tema de acordo com o livro “A Hora da Família 2010”, elaborado pela Comissão. O livro traz roteiros para celebrações nos lares, nos grupos e escolas.

    Autor/Fonte: Site CNBB - http://www.cnbb.org.br/site/familiar/4337-semana-nacional-da-familia

    12/08 - Presidente Lula assina decreto convocando II Conferência Nacional de Juventude


    Em comemoração ao Dia Internacional da Juventude (12/8), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou, hoje, o decreto de convocação da segunda Conferência Nacional de Juventude, prevista para 2011. A primeira Conferência, que aconteceu em abril de 2008, na capital federal, mobilizou mais de 400 mil pessoas em todo o Brasil e resultou na definição de um conjunto de prioridades e resoluções que deverão nortear as políticas públicas de juventude em todas as esferas governamentais. A audiência de assinatura foi realizada no Centro Cultural Banco do Brasil, sede provisória da Presidência da República, com a presença do ministro Luiz Dulci (Secretaria-Geral da Presidência da República), do secretário nacional de Juventude, Beto Cury, do presidente e vice-presidente do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve), Danilo Moreira e João Vidal, além de representantes do Conjuve e de outros conselhos estaduais e municipais de juventude.
    A realização da segunda Conferência vai garantir o caráter participativo dos jovens nas políticas públicas, além de possibilitar a avaliação dos avanços obtidos desde o primeiro encontro e os desafios que deverão integrar o novo debate. O ministro Luiz Dulci destacou a expressiva participação dos jovens na Conferência de 2008 e apostou que o próximo encontro deverá contar com o dobro de participantes. Ele ressaltou a importância do diálogo entre governo e sociedade, citou o Conjuve como exemplo e afirmou que esse diálogo tem trazido importantes contribuições para as políticas públicas.
    Durante a audiência, todos ressaltaram os avanços da agenda juvenil, incluindo duas vitórias registradas pelo segmento no último mês de julho, quando o Senado promulgou a PEC 042/2008, conhecida como PEC da Juventude, e aprovou, em caráter definitivo, a adesão do Brasil à Organização Ibero-Americana de Juventude (OIJ). A PEC 042, transformada na Emenda Constitucional nº 65, inclui o termo jovem no capítulo dos Direitos e Garantias Fundamentais da Constituição Federal e representa um passo importante para que a política nacional de juventude se consolide no Brasil como uma política efetivamente de Estado.
    Entre as iniciativas que integram a política nacional de Juventude, o presidente Lula citou programas como o Prouni e o Projovem, além de políticas voltadas para a expansão do ensino superior e fortalecimento das escolas técnicas.

    Mostra Jovem do Projovem Urbano
    Em comemoração ao Dia Internacional da Juventude, a Secretaria Nacional de Juventude está realizando, nos dias 11 e 12, a 1ª Mostra de Produções do Projovem Urbano - Mostra, Jovem, no Pavilhão de Exposições do Parque da Cidade, em Brasília (DF). A atividade tem por objetivo proporcionar um espaço de interação e troca de experiências entre os jovens, professores e coordenadores que integram o programa em todas as regiões do país.
    O Projovem Urbano é executado pela Secretaria Nacional de Juventude, em parceria com estados e municípios. Nas cidades com mais de 200 mil habitantes, a parceria é feita diretamente com a prefeitura e, nos municípios menores, o convênio é firmado com o governo estadual, que assegura a chegada do Programa às pequenas localidades. Com duração de 18 meses, o Projovem Urbano destina-se a jovens de 18 a 29 anos, que sabem ler e escrever e não concluíram o ensino fundamental. O Programa combina a formação do ensino fundamental com iniciação profissional e práticas de cidadania, além da inclusão digital. O aluno também recebe um auxílio mensal de R$ 100,00 que é pago mediante a entrega dos trabalhos escolares e freqüência de 75% às aulas.
    O Programa é uma das quatro modalidades do Projovem Integrado, que possui ainda com o Projovem Adolescente (Ministério do Desenvolvimento e Combate à Fome), Projovem Campo (Ministério da Educação) e Projovem Trabalhador (Ministério do Trabalho e Emprego). Juntas, as quatro modalidades vão beneficiar cerca de 2 milhões de jovens até o final de 2010.

    Dia Internacional da Juventude
    A data - 12 de agosto - foi instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) para voltar a atenção do mundo às questões da juventude. Por isso, anualmente a organização elege temas, especialmente ligados à saúde, participação, educação e trabalho, para pautar o trabalho dos agentes envolvidos na promoção dos direitos dos jovens.
    A ONU definiu que 2010 seria o Ano Internacional da Juventude. Porém, oficialmente, o ano só começa hoje, após as comemorações do Dia Internacional da Juventude e se estende até a mesma data em 2011. A Assembléia Geral da ONU pediu o apoio internacional de governos, sociedade civil, indivíduos e comunidades ao redor do mundo para dar visibilidade ao tema para toda população mundial. Vários eventos internacionais vão acontecer em agosto: o 5º Congresso Mundial da Juventude, em Istambul, Turquia; uma conferência global no México; além dos Jogos Olímpicos da Juventude, realizados em Cingapura. Em comemoração à data, a Secretaria Nacional de Juventude realiza, em Brasília, a 1ª Mostra do Projovem Urbano. O Projovem é um dos principais programas voltados para o público juvenil e um dos pilares da política nacional de Juventude.

    Mais Informações
    Assessoria de Comunicação
    Secretaria-Geral da Presidência da República
    (61) 3411.1407

    Autor/Fonte: por Catherine Fátima Alves

    quinta-feira, 12 de agosto de 2010

    Frei Tito de Alencar Lima: 36 anos do martírio (10 de agosto de 1974)

    Apresentação

    O Memorial Virtual Frei Tito é um espaço dedicado a um dos maiores símbolos da luta pelos direitos humanos e pela democracia na América Latina e Caribe.

    Cearense, filho, irmão, frade, ativista, preso político, torturado, exilado, mártir... Conhecer a história de Frei Tito é fundamental para entender as lutas políticas e sociais travadas nos últimos 40 anos contra a tirania de regimes ditatoriais.

    No hot site colocamos à disposição documentos, fotos, testemunhos, textos e outras informações sobre a vida de Tito de Alencar Lima, frade dominicano que colaborou com a luta armada durante a ditadura militar no Brasil.

    Este memorial é uma iniciativa da ADITAL (Agência de Informação Frei Tito para a América Latina) que desde 2001 divulga pela internet a agenda social da América Latina e do Caribe. Ao escolher Frei Tito para nomear esta agência, quisemos homenagear também todos aqueles que defenderam a liberdade, a dignidade humana e a vida - ainda que fosse necessário sacrificar suas próprias vidas para alcançar esse fim. Agora, com este hot site, queremos mostrar que as lutas de frei Tito estão tão vivas quanto na época em que viveu. E ser indiferente é uma opção não mais possível.

    Agradecemos a família de Frei Tito, os frades dominicanos, os pesquisadores e todos aqueles que colaboraram para que este memorial se tornasse realidade.

    Dados biográficos

    Nasceu em Fortaleza (CE), dia 14 de setembro de 1945. Filho de Ildefonso Rodrigues Lima e Laura Alencar Lima. Estudou no Colégio Estadual do Ceará (Liceu do Ceará). Participou da Juventude Estudantil Católica (JEC), ala jovem da Ação Católica. Em 1963, eleito dirigente regional da JEC (Maranhão a Bahia), com sede em Recife (PE). Em 1964, participou das primeiras reuniões e das manifestações estudantis contra a ditadura militar. No início de 1966, ingressou no noviciado dos dominicanos, em Belo Horizonte (MG). Em 10 de fevereiro de 1967, fez a profissão simples dos votos e foi residir no Convento das Perdizes para estudar Filosofia na Universidade de São Paulo (USP).

    1968/1974

    Em 1968, foi preso durante o Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), em Ibiúna (SP), com todos os congressistas. Em novembro de 1969, foi preso novamente, com Frei Betto e outros religiosos. Torturado ininterruptamente durante três dias pelo delegado Sérgio Paranhos Fleury, chefe do Departamento de Ordem Política e Social (DOPS).

    Em dezembro de 1970, incluído entre os prisioneiros políticos trocados pelo embaixador suíço, Giovani Enrico Bücker, sequestrado pelo comando da Vanguarda Popular Revolucionária (VPR). Em 1971, foi para Roma, Itália, e, em seguida, para Paris, França, onde foi acolhido no convento Saint Jacques.

    Em 10 de Agosto de 1974, foi encontrado morto em área do Convento de Lyon. Somente em março de 1983, com a abertura política, seus restos mortais retornaram ao Brasil. Acolhidos em solene liturgia na Catedral da Sé, em São Paulo, encontram-se hoje enterrados no cemitério São João Batista, em Fortaleza.



    * Agência de Informação Frei Tito para América Latina

    Prece a nós, que somos jovens



    Que o grito não se cale. Que a atitude não cesse.
    Que a vontade não se esvaia .Que a inocência não se perca .
    Que acreditemos sempre que é possível,
    Mais ainda: que tornaremos viável. Que contagiemos cada vez um número maior de pessoas com nossa síndrome de inquietude .

    Não abandonemos, suplico, os jovens inconformados que há em nós
    Mesmo quando não mais formos jovens e, porventura, haja algum conforto em nossas vidas. Aos corações que se partem, tempo.

    Aos desconhecidos, sorrisos. Às febres, mãe.
    As vitórias, brindes. Às derrotas, consolo.
    Às injustiças, normas, às lacunas, bom-senso.

    Aos inimigos, que não os haja, em os havendo, paciência. Aos amigos, a completude de nós. Ao amor... ah! Deixemos que nos exceda, que não entendamos como vivíamos antes dele tornar-se nosso conhecido.
    Nós, que somos jovens, que vivamos constantemente como que diante de um grande acontecimento, ato heróico que é o simples existir.
    Que sejamos imortais, pois já deixamos marcas fortes nos que nos circundam.
    Nós, que somos jovens, que sigamos tentando salvar o mundo.

    Poema escrito como dedicatória no verso da capa do livro "Pedagogia do Oprimido", dado a Roberto Efrem Filho, por Ana Lia Almeida, em 21 de Setembro de 2003, data do último dia do I Seminário de Formação do Núcleo de Assessoria Jurídica Popular - Direito nas Ruas e do vigésimo aniversário de Roberto.

    quarta-feira, 11 de agosto de 2010

    LIDERANÇA SERVIDORA

    Jesus Cristo representa um exemplo vivo de liderança cristã, guiou, ensinou e formou seus discípulos conduzindo-os a pregar o Reino de Deus. A cada instante de convivência a sabedoria divina se manifestava através de seu testemunho de vida.
    A liderança cristã é simples, o que não significa que exercê-la seja fácil, e pode exigir trabalho duro. Simples por que os princípios essenciais são fáceis de compreender e tudo o que é necessário para ser um líder cristão efetivo está na Bíblia, que proporciona a sabedoria que conduz a salvação pela fé em Jesus Cristo.
    “Toda a escritura é inspirada por Deus, e útil para ensinar, para repreender, para corrigir e para formar na justiça. Por ela, o homem de Deus se torna perfeito, capacitado para toda boa obra” (II Tm. 3:16-17). Assim como Jesus, um bom líder deve saber lidar com seus liderados. Corrigir nos momentos oportunos, compreender os momentos de fragilidade e apoiar e incentivar os instantes de paz e alegrias.
    São Francisco de Assis era líder da juventude de sua cidade sempre alegre, amante da música e das festas. Mais tarde se tornou um líder pelas suas qualidades morais, pelo exemplo de vida e amor aos ensinamentos de Jesus Cristo e os jovens começaram a admirá-lo, na tentativa de alcançar a mesma experiência direta com o Divino. Ainda tido como louco por alguns, considerado um anarquista por outros, o jovem santo continuou firme em seu caminho e missão de resgatar alma para a verdadeira religião, na qual Deus deixava de ser propriedade exclusiva do clero e se tornava acessível dentro do coração.
    “Liderança é conceituada como a habilidade de influenciar pessoas para trabalharem entusiasticamente visando atingir aos objetivos identificados como sendo para o bem comum” (Gildásio Reis). Desta forma o líder deve usar de meios e instrumentos embasados no amor, serviço e sacrifício, vontade, paciência, humildade, respeito e honestidade. Aquele que está a frente de um grupo deve estar atento a criar sempre um ambiente saudável capaz de envolver os irmãos a trabalharem juntos e com entusiasmo.
    Deus quer que seus líderes sejam homens íntegros. “Porque a nossa glória é esta: o testemunho da nossa consciência, de que, com simplicidade e sinceridade de Deus, não com sabedoria carnal, mas na graça de Deus, temos vivido no mundo e maiormente convosco (II cor. 1:12). A transparência de caráter é simplesmente uma questão de integridade que deve ser desenvolvida naqueles destinados a liderança. A integridade e a humildade estão unidas e é fundamental a toda liderança religiosa.
    No cenário descrito em Mateus 20 Jesus apresenta outras três atitudes essenciais na liderança cristã: o sofrimento, a igualdade e o serviço.
    O sofrimento: As pressões da liderança são enormes. Um líder deve estar preparado para sofrer, algumas vezes em segredo, para cumprir com seu chamado. Deve manter-se na linha dos princípios divinos correndo riscos de mal- entendidos e críticas de outros.
    A igualdade: Trabalhar junto com o irmão como iguais, se respeitando mutuamente. As hierarquias autoritárias não têm lugar no Reino de Deus. Diante de Deus, as diferenças entre os homens perdem a força. Para Francisco de Assis, a igualdade é uma atitude de humildade a partir de Deus que se estende a todos e pela qual todos se mantêm pequeninos.
    O serviço: Os líderes devem ter atitudes de servos. “Tal como o filho do homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muitos (Mt 20:28). Servir aos outros permite se livrar das algemas do ego e da concentração em nós mesmos que destroem a alegria de viver. A liderança cristã é uma vida dedicada ao serviço.
    Desta forma o melhor caminho é seguir o conselho e o exemplo do nosso líder Jesus. Ele disse que liderar é servir. Sendo assim, amem e sirvam os outros. Amar significa se doar para os outros, identificando e suprindo suas reais necessidades e buscando o melhor para suas vidas.
    “Ao homem que teme ao Senhor, ele o instruirá no caminho que deve escolher” (Salmos 25:12).

    Larissa Sarnento Figueiró, JUFRA

    terça-feira, 10 de agosto de 2010

    Convite

    Os Festeiros, José Braz Costa, Silvia de Souza e Família Juntamente com a Paróquia N.Sª da Piedade vem através deste convidar o Grupo de Jovens e também toda a comunidade para participarem da santa missa em louvor a Nossa Senhora da Piedade em Crisólia no dia: 15 de Setembro de 2010 presidida pelo Pe. PAULINHO DA CANÇÃO NOVA em praça pública, Onde acontecera o 1º EVANGELIZA SHOW em honra e louvor a Nossa Senhora da Piedade em comemoração ao seu dia, contamos com a presença do grupo de jovens para a animação deste evento. Haverá muita música, Momento de fé, e Praça de Alimentação.

    sábado, 7 de agosto de 2010

    Relatório do 3º CAF


    Sexta-feira Noite 23/07/2010
    O curso começou com a acolhida aos participantes e logo após foi feito o cadastramento. No ato do cadastramento foi entregue os crachás sem escrever o nome de ninguém, pois os mesmos foram usados na dinâmica de separação das lideranças.
    Logo após o cadastramento foi servido um lanche e em seguida iniciou-se a cerimônia de abertura do III CAF. Essa cerimônia se deu com as boas vindas feita por Daniel, que explicou como seria o curso, o tema e o lema. Logo após foi feita a oração inicial, com a reflexão da iluminação bíblica do curso, o lava pés (Jo 13,4-16). Na dinâmica de separação das lideranças foi pedido aos participantes escolherem os crachás de acordo com a cor do grupo de trabalho que desejava participar (organização da sala, limpeza pós-refeição, responsáveis pelo horário, limpeza dos banheiros e liturgia) organizando os grupos em torno de seus respectivos cartazes. Cada grupo ficou como responsável um membro da Equipe Arquidiocesana da Pastoral da Juventude - EAPJ. Os grupos foram levados para fora do salão e os foi questionado sobre as expectativas para o III CAF. Voltando ao salão, Daniel encenou a passagem bíblica lavando os pés de alguns jovens. Finalizou com uma oração do Pai Nosso, com abraço da paz e com grito de guerra “Numa só forca num só pensamento e num só coração, PJ...

    Sábado Manha 24/07/2010
    A oração inicial foi feita pelo seminarista Samuel. Os participantes foram acolhidos pela banda do grupo JUNAC – Ouro Fino, cantando a musica “Ei amigo”. Com os jovens já organizados, foi feita uma encenação com os jovens vestidos como os apóstolos e citando algumas passagens bíblicas. Logo após a banda canta o mantra da abertura do oficio divino. Todos os participantes ficaram de pé e cantaram o hino “Os que vêm de Deus...”. Na seqüência, se faz a leitura do Salmo 92 em dois coros com a sala de palestras divididas em dois grupos.
    Em seguida foi feita a Aclamação do Evangelho, leitura e reflexão da passagem bíblica (Lc11, 2-4). A oração comunitária aconteceu na seqüência com alguns jovens colando algumas extensões e como resposta “A nossa prece senhor, vinde atendei por amor”. Rezou a oração do “Pai Nosso” e abençoou os participantes que foram para o café.
    Logo após o café, a assessoria do Anchietanum começa os seus trabalhos. Os nossos assessores foram: Rachel, Alex e Ir. Lucemberg.
    Rachel deu inicio se apresentando e pede para que os jovens digam de vêem.
    Logo após, dividiu em quatro grupos os participantes no qual foram chamados de “cantinhos” e cada um representava um motivo para ir ao grupo de jovens. Os quais eram: espiritualidade, fazer amizades, conhecer-se e discutir assuntos em geral. Cada jovem escolheu um “cantinho” do assunto que mais o agrada e conversaram sobre por 5 minutos sobre esse motivo.
    Logo após alguns jovens apresentaram em pequenas frases qual o motivo que escolheram cada “cantinho”:
    - “Temos que nos conhecer primeiro para depois envolver na espiritualidade, amizade e sociedade”.
    - “O grupo começa por causa de amizade, você procura e tudo se foca na amizade”.
    - “O grupo de jovens existe por causa da espiritualidade, o mais importante é conhecer Deus. Importante é conhecer a Deus primeiro depois as outras coisas”.
    - “Usar as coisas do mundo para saber trabalhar com os jovens, fazer coisas para atrair-los ao grupo”.
    Em seguida, Rachel questiona os participantes, quem estava mais certo? E a resposta foi que todos estavam todos certos e que o grupo de jovens é feito de diversidades. Rachel completa dizendo que Jesus tinha amigos, que se envolvia com as coisas do seu mundo e que também conversava com Deus. Diz também que “não somos um pedaço e sim somos formados por todas as dimensões e o grupo é a mesma coisa”. Continuando ela alguns questionamentos:
    Eu:
    - Quem sou eu? Qual é o sentido da minha vida? Qual a relação comigo mesmo?

    O outro:
    - Quem é o outro? Qual a minha relacao com os outros?

    Mundo:
    - O que eu estou fazendo aqui? Conhecer a realidade... Agir neste mundo... Reconhecer o outro no mundo.

    Relação com Deus:
    - Como transformar a minha relação de Deus com o mundo? Como falar de Deus para com o outro? E os jovens responderam que é no respeito, na sinceridade, na fidelidade e relação saudável.

    Também perguntou como falar de Deus no Mundo? Respostas: na solidariedade, no amor e na esperança.
    Rachel completa que hoje há uma relação de exploração que acontece no mundo. E como devemos evitar isso? E como resposta teve a sustentabilidade (participação de jovens). Continuando ela pergunta, “O que é uma relação saudável?” E a resposta foi: intimidade, respeito, proximidade, ação. “Como pode ser minha relação com o mundo?”.
    No momento seguinte Rachel fala das cinco dimensões e que é formação integral. Esse processo de formação é consciente e Capacita o jovem.
    Nesse próximo momento Alex fala da Formação Integral.
    Ele diz que esse processo de formação deve acontecer de modo integral em todas as dimensões. Citou o documento 85 da CNBB que é o documento que fala sobre evangelização da juventude. E completa dizendo que na formação integral tudo esta equilibrado. As dimensões de formação são: conscientização, personalização, evangelização, capacitação, integração. Alex ainda questiona que “Será que meu grupo da atenção a todos estas dimensões?”.
    Continuando ele fala do processo de educação na fé é a maneira que se chega a um resultado e isso é passo a passo. E que nos grupos isso acontece e tem um começo, meio e fim.
    E os passos para o se formar um grupo são:
    - Primeiro passo: chamar as pessoas. E como fazer? Convite em missas, internet, radia. (Convocação)
    - Segundo passo: estruturar e estabelecer um núcleo no grupo. Como fazer? Dividir as funções dentro do grupo. (Nucleação)
    - Terceiro passo: planejar de acordo com os objetivos. Como fazer? Pensar vários temas a serem trabalhados. (Iniciação).
    Dentro desse terceiro passo há algumas descobertas a serem feitas e são as seguintes:
    I- Descoberta da situação pessoal: “O que eu sou? Quem eu sou nesse contexto?”.
    II - Descoberta da comunidade: “A amizade no grupo acontece por afinidade e é mais verdadeira”
    III- Descoberta da situação social e elaboração de um projeto de vida: “tocar a minha vida de acordo com o projeto para mim e para a comunidade”.

    - Quarto passo: ação. Como fazer? Trabalhar em prol de uma causa, concretizando sonhos. (militância). Já que o quarto passo é a militância, Alex citou dois tipos, a militância dentro da igreja e fora da igreja com exemplos:
    I- Militância dentro da igreja: liturgia, catequese,
    II- Militância fora da igreja: vida matrimonial, vida sacerdotal, profissional.
    Na seqüência falou das quatro dimensões da evangelização e citou o documento 85. Quais são?

    I - Anuncio
    - Divulgar a boa nova de Cristo

    II- Serviço
    - Ação. E completou que a fé sem ação é morta.

    III- Dialogo
    - Conversa e troca de idéias.

    IV- Testemunho de vida
    - Papel da liderança, colocar as palavras ditas em pratica.

    Continuando Alex fala da Capacitação Técnica.
    Capacitação Técnica
    Começando ele diz às pessoas que estão à frente do grupo tem q estar ciente de todo o processo de formação integral e do processo de educação na fé. Também fala o que fazer para a elaboração para um projeto de trabalho, que se deve fazer uma análise da realidade, um ponto de partida (faz uma análise do momento inicial) e o ponto de chegada do meu projeto (faz uma analise do momento final) e que se usa o método do “ver, julgar e agir”. Comenta que o VER é analisar como esta, o JULGAR e aonde quero e o AGIR é o que devo fazer para chegar aonde quero e colocar em pratica.
    Citou também as atividades permanentes durante o ano dentro da PJ que são: Campanha da Fraternidade, Semana da Cidadania, Semana do Estudante e DNJ. E essas atividades acontecem dentro um processo passo a passo de caminhada e que isso esta dentro da Formação Integral.
    Completando diz que “quem sabe aonde quer chegar não se perde. Ter um ponto de partida e fundamental e o ponto de chegada deve ser conhecido, mas o caminho pode ser diverso. Situações diversas você pode encontrar. A importância do planejamento e importante para a chegada. A luz no horizonte define meu ponto de chegada”.

    - Dinâmica:
    É um sociograma, onde se formam grupos de jovens onde cada um dos membros vai receber um perfil com características especificas exageradas que existem dentro dos grupos. Os grupos foram divididos em Laranja, abacate, mamão, uva. Melancia e amora. Cada um recebeu a missão de se organizar com um coordenador, secretario e organizar uma atividade que um padre fictício pediu.

    Os grupos tiveram um tempo para desempenharem essas atividades e depois foram chamados para apresentarem o que conseguiram fazer.

    Abaixo está o que apresentaram:
    *Grupo Abacate:
    Foi um grupo que a coordenadora falava, falava, falava e ninguém entendia nada e acabaram não resolvendo nada.

    *Grupo Amora:
    Um grupo que fez um planejamento do ano, mas não fez o que o padre pediu, pois não haveria data.

    *Grupo Laranja:
    O coordenador se acha, ele sabe tudo e diz que tem mais experiência no grupo, pois ele toma a frente de tudo. Ele faz as coisas do jeito dele e não aceita a opinião dos outros.

    *Grupo Melancia:
    O grupo com briguinhas, um desorganizado. Mas conseguiu fazer um calendário e ficaram responsáveis pela barraca de pescaria na festa junina do padre. E grupo se acha o perfeito.


    *Grupo Mamão:
    A secretaria diz que não gosta de nada, reclama de tudo. Demoram muito para discutir quem seria a ou o coordenador (a) e não resolveram nada.

    *Grupo Uva:
    O representante do grupo não sabe detalhe nenhum, fica perguntando para os outros participantes, o coordenador é meio alienado. Mas o grupo fez alguma organização.

    Ao final da apresentação, padre Omar Siqueira assessor diocesano da juventude deu as boas vindas para os participantes e os convocou para o trabalho da igreja.
    Alex faz uma analise da dinâmica, falando que o exagero de uma só característica não faz bem para o grupo, mas juntando um pouco de cada característica é benéfico ao grupo. As pessoas têm vários perfis pelos mais varias motivos. E tudo isso influenciam a sua vida e o grupo. A historia de vida vai complementando o grupo tanto para o lado bom como para o lado ruim. E os coordenadores têm q saber como trabalhar com essa diversidade.
    E para finalizar ele cita algumas características do bom coordenador que são as seguintes:

    - Não deve se posicionar de imediato.
    - Perguntar para o que o Maximo de pessoas se manifeste.
    - A opinião do grupo nem sempre será unanimidade ou consenso.
    - O se deve humilhar ou descartar as opiniões expressadas, mesmo que simples.
    - Ter a delicadeza de cortar a palavra quando fugir do tema.
    - Deve ajudar com perguntas simples e elogiar quando se merece.
    - Deve mostrar com bom humor que os detalhes são importantes.
    - Deve criar o Maximo de condições de jovens presentes participem.
    - Evitar que grupo só dependa dele.
    - Deve ajudar o a grupo a se aprofundar.
    - Deve contagiar com otimismo e no momento certo, fazer perceber que há coisas negativas e que podem ser melhoradas

    Outras coisas que são importantes:
    -Ter visão do objetivo do grupo.
    - Entender a metodologia.
    - Saber conduzir a reunião.
    - Ser bom colaborador.
    - Saber controlar o tempo
    - Ter boa capacidade de organização
    - Saber despertar novas lideranças
    - Dar testemunhos da vida coerente
    - Ter empatia
    - Ser entusiasmado

    E para completar cita alguns tipos de coordenador: o ditatorial, paternalista, permissivo, democrático entre outros.

    Sábado tarde 24/07/2010
    Logo após o almoço, foram organizados três grupos para as plenárias de conscientização sócio-política, personalização e integração.

    Conscientização sócio-política: Rachel

    - Dinâmica da Maquina:
    Rachel iniciou a plenária com a dinâmica da maquina. Cada pessoa era uma peca dessa maquina. Escolheu uma primeira pessoa para começa o movimento da, a segunda é escolhido e entra em sincronismo com a primeira fazendo outro movimento sincronizado e uma a uma vão se interagindo com o movimento dos outros. Em segundo momento a primeira pessoa que entrou no movimento vai fazendo um som para representar o seu movimento e na seqüência as outras pessoas também vão fazendo o mesmo.

    Esse é o teatro do oprimido, forma dinâmica para mostrar as relações.
    Na conclusão da dinâmica os participantes falaram o que sentiram e algumas frases estão abaixo:
    - “Cada um tinha q fazer o movimento sincronizado “certinho”, para que a maquina se atrapalhasse”.
    - “Temos q trabalhar no mesmo ritmo, caso contrario a maquina não funcionaria”.

    Rachel depois da fala de alguns jovens faz alguns questionamentos em relação à dinâmica:
    - Por que a vontade de desistir?

    Resposta: cansaço
    - E se essa maquina fosse o mundo?

    Resposta: às vezes pessoas cansam e quem ira substituí-las?
    Rachel conclui que as pessoas têm vontade de desistir, mas o que fazer para animá-las?

    Continuando, comentou que a nossa relação com o mundo tem: os atores, as relações, os cenários, a conjuntura e os acontecimentos. Tudo funciona da seguinte forma, os atores trabalham em cenários e suas relações acontecem com as conjunturas.

    Logo após Rachel questiona:

    Como que o pessoal recebe o tema sobre sócio-política?
    Resposta: o pessoal dialoga bastante, fala sobre temas do presente e Rachel conclui que às vezes os jovens acham que não conseguem mudar a sua realidade, que é difícil achar que fazem a diferença. E volta explicando o que é cada integrante da nossa relação o mundo:

    - Atores: todas as pessoas, igreja
    - Relação: colaboração, conflito
    - Cenário: a igreja

    E perguntou: Qual a diferença de fato e acontecimento? Explicou que o termo fato é qualquer coisa que acontece e acontecimento é um fato marcante.

    Sobre a conscientização sócio-política, falou sobre os três passos que são:

    - Primeiro passo:
    Sensibilização: tornar a par o grupo sobre o que ta acontecendo.

    - Segundo passo:
    Conscientização: começa a analisar o fato ocorrido e tem uma visão mais critica

    - Terceiro passo:
    Organização/mobilização: o grupo já atua na sociedade, não fica só dentro do grupo e já coloca em prática.

    Logo após, dividiu a plenária em dois grupos e eles conversaram e analisaram em que fase os seus respectivos grupos então na sua caminhada. Os jovens tiveram 10 minutos para conversarem e em seguida citaram o que foi discutido:

    - Os grupos de nunca terão um auge, pois sempre haverá altos e baixos.
    - Os jovens não ajudam nas atividades da igreja.
    - Os grupos têm muitos adolescentes.
    - Dificuldade de trabalhar a conscientização sócio-política e a dificuldade dos participantes e estarem empenhados nas atividades.
    - Tentam fazer algo que agrade o jovem e não fazer algo obrigado.

    Dimensão de Personalização: Ir. Lucermberg
    Ir. Lucermberg começa comentando que quando se conhece uma pessoa a primeira coisa que você faz e perguntar o nome e por isso ele pergunta quais os nomes que ele deve dar aos dois bonecos que estão no centro da sala.
    Os jovens deram sugestões de vários nomes e características aos bonecos. De dentro da boneca, Ir. Lucermberg tira-se outra boneca e que faz um barulho e os jovens deram características à primeira boneca. De dentro da segunda boneca tiraram outras e com isso se deu mais algumas características a essa boneca e com isso faz se uma analise da boneca como se fosse uma pessoa e dizendo que se podem conhecer melhor as pessoas com uma convivência melhor. Cada vez que se tira uma nova boneca, elas ficaram menores e isso quer dizer que vamos conhecendo a pessoa melhor. Falou também que às vezes a gente não se tem tanta liberdade com os nossos familiares.

    Questionou: “Para que a gente tenta se entender? Para que se conhecer?” e conclui que “conseguir olhar para si mesmo é autoconhecer”.

    Continuando comenta “depois se relacionar com todo mundo, às vezes a gente descobre coisas que ainda não conhecia em nos mesmos. Fico diante de mim, diante de se relacionar com todo mundo e ainda se consegue se relacionar com Deus, que ele se faz presente em tudo e sabe como que eu atuo em todas as coisas’. Ainda comenta que há diversas formas de ser e de se construir o eu e pergunta se é possível ir alem?

    E responde, “sim”!”e continua” Respeito o outro? Penso muito no presente? No passado? Encontro com os amigos, família e tudo isso gera transformação nas pessoas. Deus esta presente sempre presente em minha vida, nos guia e nos acompanha. E agora posso ir mais alem? Sim, mas isso depende de nos mesmos. “Posso viver bem e posso ser mais”.

    Passando essa reflexão, Lucemberg pega o boneco fala que ele tem muitas coisas que gosta e coisas que ele não gosta e dividiu a plenária em dois grupos. Pediu então que um grupo falasse o que o boneco gosta de fazer e o outro do que ele não gosta de fazer.

    Então, os participantes citaram algumas coisas e Lucemberg questiona, “E nos?” e pediu aos grupos que citassem coisas que gostam de fazer e que não gostam de fazer.
    E complementa também que tem coisas que gostamos de fazer e fazemos, tem coisas gostamos, mas não fazemos, outras que não gostamos e acabamos fazemos e coisas que não gostamos e não fazemos. Às vezes fazer coisas que não gostamos, mas elas nos proporcionam coisas que gostamos de fazer e também acontecer ao contrario, tem coisas que não gosto e faço.

    Logo após ele volta ao questionamento do “E nos?” e fala da importância para que tudo de certo em nossa vida seja um bom projeto! E pergunta, “O que é o projeto de vida? E me olhar e me projetar e analisar os questionamentos feitos acima e acrescenta que para fazer um projeto de vida devemos fazer os seguintes questionamentos para nos mesmos:

    Quem sou eu? Sou dedicado? Quais as minhas exigências? Onde vou pedir ajuda? E olhar para a minha realidade, saber com quais pessoas relacionarmos e o que eles nos proporcionam, analisar também o que quero fazer da minha vida e ver o que procuro e como quero que ela seja. Complementa dizendo que muitas vezes somos influenciados pela televisão e internet e que isso é muito superficial.

    Concluindo essa dinâmica ele diz que o nome desse exercício é o Curto grama, “o gosto de fazer”. Questiona os jovens de como foi à dinâmica? Respostas:

    - Foi diferente, foi bacana.
    - Interessante, mexe com a cabeça faz analisar a nossa vida.
    - Com material bem simples conseguiu tocar e cada boneco tirando de dentro do outro representa uma pessoa.

    Dimensão de Integração: Alex
    Alexandro deu inicio a plenária falando que integração é inserir alguém em algum lugar diferente entre grupos e cita a integração com os animais, com as pessoas e com o meio ambiente.

    Dinâmica:
    Foi feito dois círculos de mesmo numero de pessoas. Pediu que os participantes que aproximem o Maximo possível olhem para fora do circulo e coloquem a mão esquerda dento circulo e peguem em outra mão o mais longe possível e jogue a mão direita para dentro do circulo e peguem outra mais longe possível e não deve soltar a mão. E sem desfazer desgrudar as mãos desfazer o nó. Isso foi somente um aprendizado, agora juntou todos os participantes e formou um único grupo e repetiu os mesmos passos anteriormente citados.

    Conclusão:
    Foi pedido para os jovens que falassem algumas palavras sobre a dinâmica e algumas citadas foram: união, planejar os passos, se esforçar, cada um tem dar um pouco de si entre outras. Alex toma a palavra e diz que na dinâmica aquilo que o meu colega estava passando refletiu em mim, todo mundo tem que colaborar e temos que ouvir todo mundo. Também comentou que há nos grupos varias personalidades e que devemos saber como integrar dentro do grupo.

    Questionou aos coordenadores dos grupos o que eles fazem nos grupos de jovens para integrar todas as pessoas do grupo? Logo respondeu que todo mundo tem que se ajudar, pois isso faz com que todos do grupo ganhem.

    Dinâmica da cadeira.
    Colocou todas as cadeiras viradas para fora e todos participantes ficaram em pé e andando em volta das cadeiras e parando a musica todos devem sentar nas cadeiras. Mas a pessoa que sobra deve sentar também não havendo correria. Tirou três cadeiras e todos devem se acomodar. Tirou mais quatro cadeiras e todos tem q se acomodar. Agora com somente três cadeiras e todos tem se acomodar.

    Conclusão:
    Alex pediu aos participantes lessem o documento 85 “Documento da CNBB sobre a Evangelização da Juventude” no artigo que trata da dimensão psico-social. Logo após a leitura, questionou “o que é importante considerar nos grupos em relação à integração?” E enfatizaram que devemos fazer festas, jogos esportivos ajudam na integração interna do grupo, mas também questionou o que se deve fazer com a juventude fora do grupo o que podemos fazer para ajudar a se integrar também? Jovem evangelizando jovem, o que significa essa frase?”e as respostas foram que o jovem tem que ter a mesma linguagem e que o jovem deve falar direto aos outros jovens e que não devemos ser uma liderança “meia boca” que senão acabamos desestimulando o grupo.

    Se a gente é uma liderança meia boca, a gente acaba desestimulando o grupo.

    Dimensão Espiritual: Alex, Ir. Lucemberg e Rachel
    Os assessores levaram todos os participantes para o espaço aberto na parte de trás da Casa de Oração. Pediu que todos se dessem as mãos e fizessem uma grande roda. Logo após, pegaram frutas e bombos e os distribuíram para representar dos sabores de se trabalhar com a juventude, de fazer parte da Pastoral da Juventude e estar participando do III CAF.
    Em um segundo momento, foi dado aos participantes folhas de papel para que escrevessem uma palavra ou uma frase que tocou durante o dia de curso e barbante. Depois aos poucos pediram que essas folhas fossem juntadas umas as outras utilizando o barbante. Juntando tudo formara uma colcha de retalhos que representara os sonhos de toda a juventude da Arquidiocese de Pouso Alegre junta. E com esse momento se finaliza o dia de curso.
    Os jovens foram liberados para o descanso e o banho para se preparar para a Confraternização à noite com o tema: Festa Brega.

    Domingo manha 25/07/2010

    Manha de oração:
    Fora da sala de palestras, o seminarista Marcos iniciou invocando a santíssima trindade. Logo após falou da necessidade de ser ver Deus na criação, de olhar a natureza ao redor e conseguirmos ver Deus no mundo a nossa volta tão marcado pelo mal. Na seqüência pediu os jovens que olhassem a natureza ao redor e pensassem em quantos milagres Deus já fez em nossas vidas e em enquanto isso tacava um musica relaxante.
    Logo após essa reflexão dos participantes, Marcos fala que com certeza muitas vezes se é capaz de sentir Deus em nossas vidas. Que devemos conhecer e amar a Deus para torná-lo conhecido e amado.
    Continuando, diz que a cultura indiana muito nos ensina através de dinâmicas e conta que um padre indiano em um encontro ensinou que através de gestos podemos também rezar pensando em nossa vida.

    Dinâmica 01:
    Marcos explica que a dinâmica será da seguinte forma: deve dar dois passos para a direita, dois para frente com o pé esquerdo, dois para trás com o direito e um passo para esquerda se equilibrando num pé só...

    Conclusão:
    Marcos explica que os passos simbolizaram a nossa vida, os para frente são as decisões certas que tomamos, os para trás as erradas, os para a esquerda se equilibrando de mãos dadas mostram a necessidade de se ter sempre alguém junto, esse alguém é Deus ou mesmo nossos irmãos quem caminham conosco na vida. Deus nos carrega nos braços e nos dá a mão para não cairmos em nossas decisões erradas.
    Em seguida faz outra dinâmica. Questionou os jovens se eles sabem ler devidamente a bíblia? Cada participante recebeu uma folha com um roteiro que ajudara na leitura orante da bíblia e um texto para meditação.
    Logo após esse momento Aline e Daniel pediram aos jovens que fizessem a avaliação do III CAF dentro das seguintes questões: “Que bom? Que pena? e Que tal?” e em seguida foi lida e aprovada, a carta oficial do III CAF.
    O III CAF foi finalizado com a Santa Missa celebrada pelo nosso assessor arquidiocesano da Juventude, padre Omar que refletiu o evangelho de São Lucas (Lc. 11,1-13): “Senhor, ensina-nos a rezar, como também João ensinou a seus discípulos”.

    sexta-feira, 6 de agosto de 2010

    34º Aniversário da CJC


    Paz e bem!!!

    Mês de agosto chega e com ele a festa mais esperada por nós da CJC no ano: nosso aniversário. Como toda criança que espera essa data, nós também queremos ter uma grande festa no dia 15 de agosto. Acho que todos que participaram de algum dos aniversários passados podem confirmar isso (e se não foi, foi porque alguma coisa saiu fora do planejado). Em uma festa de aniversário, é essencial que nossos amigos estejam presentes. Nossos amigos são todos aqueles grupos que também fazem parte da Pastoral da Juventude desse imenso Brasil, ou qualquer outro grupo da Igreja Católica que se sinta jovem. Uma festa também é uma ótima oportunidade de conhecer novas pessoas, por isso todo aquele que quiser participar do evento, mesmo que não faça parte dos grupos acima, também está convocado para o evento.

    No dia de comemoração, preparamos várias atividades para vocês, lembrando que além da alegria, é importante agradecer a Deus que nos tem permitido continuar o serviço depois de tanto tempo. Em discussão com o grupo todo, decidimos trabalhar sob o tema “Para caminhar é preciso renovar“, lembrando todas as mudanças ocorridas em sua existência para que pudéssemos sempre agradar. Para nos ajudar na reflexão desse tema, convidamos algumas pessoas que sempre foram elogiadas por suas palavras em nossos encontros. Na parte da manhã, contaremos com a Célia, nossa eterna madrinha ‘Celinha’, junto com Giovany, o ‘Gigio‘, homem que fez história em nosso grupo. Na parte da tarde, teremos o Faria, que já esteve palestrando em nosso aniversário de 32 anos. Abaixo temos um cronograma completo do evento:

    08:00) Café da manhã
    09:00) Acolhida e oração inicial
    09:30) Apresentação dos grupos
    10:00) Palestra com Célia e Giovany
    10:45) Preparação para a Celebração
    11:00) Celebração
    12:00) Almoço
    13:30) Teatro
    14:00) Palestra com Faria
    14:45) Sorteio da Rifa
    14:50) Oração Final
    15:20) Encerramento

    O almoço como sempre será gratuito. A peça teatral está sendo coordenada pelo Sandro.
    O encontro acontecerá no dia 15 de agosto de 2010 (domingo) e será na Escola Senador Bueno de Paiva, aqui em Cachoeira de Minas (local onde tem sido nos anos anteriores). Se você não sabe como chegar, abaixo temos um mapa da cidade e localização da Escola. Caso necessite de maiores informações sobre o evento ou esclarecimento de dúvidas, o contato pode ser feito através do e-mail pazebem.cjc@gmail.com
    Pedimos aos interessados em participar para confirmarem presença até o dia 09 de agosto. A confirmação é necessária para a gestão do almoço e acomodação. A confirmação pode ser feita pelo mesmo endereço de e-mail dado acima.

    Contamos com a presença de todos!!!

    CONVOCAÇÃO A TODA JUVENTUDE ARQUIDIOCESANA


    VOCAÇÃO, RESPOSTA DE DEUS A UMA COMUNIDADE QUE REZA. (PUEBLA)

    As Paróquias de nossa Arquidiocese já receberam o SUBSÍDIO PARA ANIMAÇÃO DAS COMUNIDADES NO MÊS DE AGOSTO DE 2010.
    O grande objetivo é celebrar o mês vocacional não em seus grupos separados, mas juntos, rezando e refletindo a partir de uma proposta comum, somando forças na partilha das diferenças, testemunhando a experiência da união.
    O material foi escrito, pensando nas comunidades e pequenos grupos. O MATERIAL CONTÉM CELEBRAÇÕES DA PALAVRA SOBRE AS VOCAÇÕES E MINISTÉRIOS E SEMANA DA FAMÍLIA E JUVENTUDE...
    A intenção é oferecer um material de apoio que a criatividade de nosso povo haverá de adaptar de acordo com cada realidade.
    A SEMANA DA JUVENTUDE E FAMÍLIA começa nesse dia 08 de Agosto em todas as Paróquias, por isso que a Equipe Arquidiocesana da Pastoral da Juventude da Arquidiocese de Pouso Alegre convoca à toda a juventude para a participação desse marco em nossa arquidiocese, continuando o processo da Assembleia Arquidiocesana de Pastorais onde somos PRIORIDADE.

    VAMOS PARTICIPAR E MOSTRAR NOSSA FORÇA!!!!!

    fonte:http://www.arquidiocese-pa.org.br/v2/lerconteudo.php?id_noticia=406

    A Igreja no Equador celebra os 25 anos da Pastoral da Juventude

    O evento terá início amanhã, 7, em Quito, com um Encontro Nacional da Pastoral da Juventude intitulado "Cristo no jovem por uma nova sociedade". Quando João Paulo II visitou o Equador, em 1985, a Pastoral da Juventude equatoriana estava apenas no início, porém, já havia mais de 100 mil jovens participando do encontro com Papa.
    O arcebispo de Quito, dom Raúl Eduardo Vela Chiriboga, e o bispo de Riobamba, dom Víctor Alejandro Corral Mantilla, responsável pelo setor da Pastoral da Juventude na Conferência Episcopal do Equador, darão as boas-vindas aos participantes. O padre Alfonso Francia fará um bate-papo com os jovens da Pastoral sobre estes 25 anos de caminhada com Jesus e sobre os jovens que apostam em Cristo. O encontro se concluirá no domingo, 8, com uma peregrinação e com uma missa.
    Numa mensagem enviada a todas as delegações juvenis, dom Víctor Alejandro ressalta que "no coração da Igreja peregrina no Equador, brota uma semente de vida e esperança para a juventude. Esta é uma história em permanente construção, a mesma que vai se revelando na vida dos jovens e no anúncio do Evangelho nos novos caminhos e lugares de Evangelização", conclui o bispo que expressa sua alegria pela participação dos jovens na missão evangelizadora da Igreja no Equador.

    Fonte: CNBB

    quinta-feira, 5 de agosto de 2010

    Semana do Estudante





    Promovida pelas Pastorais da Juventude do Brasil e coordenada pela Pastoral da Juventude Estudantil, a Semana do Estudante, realizada de 09 a 15 de agosto, terá o tema: “Cultura: nossa terra, nossa história e nossos sonhos.”e o lema: “Juventude: muitas caras, muitas cores, em marcha contra a violência”.
    O objetivo é convocar toda a comunidade escolar para discutir, refletir e se mobilizar sobre uma temática importante para a vida dos/as estudantes e da sociedade em geral: a cultura.
    A Semana do Estudante é atividade diferenciada porque se propõe a trabalhar a partir do protagonismo estudantil. Os/as estudantes, organizados/as e comprometidos/as com a transformação, podem construir uma educação e sociedade com novos valores como o respeito e o cuidado.

    Ser estudante...

    Canto para o mundo ouvir.
    Minha voz não tem fronteiras e
    barreiras são impulsos que nos tornam gigantes.
    Levanto a bandeira da educação
    e com a alma regozijada digo que sou estudante
    Sou gente...
    Sou história...
    Sou caminho que nunca se tardia.
    Sou realidade...
    A cara do Brasil.

    Ser estudante é ter na alma
    a juventude que nunca se apaga,
    que nunca envelhece.
    É não morrer a esperança no caminho.
    É vencer o cansaço depois de um dia de rotina
    e repousar no desejo de que a vida para ser edificada
    precisa encarar as dificuldades face a face.

    No peito do estudante bate um coração
    que pulsa no ritmo das palavras sem limites.
    Sem limites para um sonho que não se esvai,
    Sem limites para a vida que não se findaentre quatro paredes d’uma escola.

    Maravilhado és tu estudante!
    Tu que bem-aventurado conduz teus passos e
    na tua Pátria Mãe Gentil repousa-te.
    O estudante vibra, canta, luta.
    É luz que reluz os olhos de outrem.
    Ele tem a juventude que não se escorre entre os dedos.

    Ser estudante é ser protagonista de sua própria história.
    Vivida.
    Sofrida.
    Dedilhada num acorde de violão,
    ou simplesmente declamada nos versos de uma poesia.

    E o verbo se fez jovem, mas ainda não habitou entre nós

    Compreender a juventude enquanto presença profética de Deus a fim de realizar uma verdadeira revolução nas nossas vivencias comunitárias e até das nossas concepções sobre a presença divina na juventude e na igreja: eis aí um grande desafio àqueles que se dispõe ao ministério da assessoria.
    O jovem deseja ser igreja e a igreja quer ser jovem. São duas realidades díspares que somos vocacionados a aproximar. De que maneira realizá-la? Como ser horizonte, aproximar céu e terra em momentos de tempestades, terremotos, indiferença, alienação?
    Talvez Eduardo Galeano tivesse razão ao tentar definir a utopia como um horizonte... caminhamos dez passos, ela se afasta dez passos, viajamos quilômetros e quilômetros ela se afasta de nós. Quando então vamos nos perceber que justamente a sua função é nos fazer caminhar?
    Pelo caminho, qual marcos de estrada, nossa papel não é ser nem rei nem imperador, nem alto demais e nem largo demais, atrapalhando o caminho. Devemos ser apenas o que nascemos para ser – indicadores do caminho. Na mística de um acompanhamento, carecemos nos atentar de que as perguntas fundamentais não somos nós que fazemos.
    Devemos caminhar como quem acompanhara os discípulos de Emaus. Chegar de mansinho, quase que imperceptível, sempre como uma presença de quem caminha ao lado, nunca acima, abaixo, a frente ou abaixo. Se situar, atentar, escutar e somente depois de ter certo que caminhada estes vem fazendo, fazer as perguntas certas, nos momentos certos, com a paciência histórica que o Cristo nos ensinou a ter, porém sem induzir a conclusões. A autonomia é de quem é acompanhado...
    E, se no final do caminho, os/as jovens não se perceberem na busca do horizonte, cabe-nos ainda uma ultima tentativa: simbolizar nossa ação, partindo o pão e, muitas vezes , sem palavras, deixá-los por si convergir em outro caminho. Voltar e experenciar Jerusalém e, se preciso for, cabe-nos retornar com eles e fazer este enfrentamento. Quando a igreja, povo de Deus, olhar para os/as jovens como sujeitos capazes de fazer uma caminhada de transformação e conversão e reconhecer àqueles/as que são verdadeiros acólitos da juventude, teremos, com certeza, muitos natais e novas vivencias eclesiais habitando entre nós!

    Luiz Fernando Rodrigues
    Cursista do CAJO 21, educador,Administrador, dirigente da APP Sindicato Maringá, integrante da equipe de assessoria da Pastoral da Juventude da Arquidiocese de Maringá-PR
    fonte: http://acolitando.pjmaringa.com/2010/08/e-o-verbo-se-fez-jovem-mas-ainda-nao.html

    Plenária Nacional das Pastorais da Juventude do Brasil


    PJ – PJE – PJMP – PJR
    Brazabrantes, Goiás
    29 de julho a 1º de agosto de 2010


    Tema: “Pastorais da Juventude do Brasil e a defesa da vida da juventude”.
    Lema: “PJB, se encontrando e reencantando para a luta”.


    “Essa ciranda não é minha só
    É de todos nós
    A melodia principal quem tira
    É a primeira voz”
    Lui Coimbra



    Eis que no coração do Brasil, num inverno aconchegante, as quatro Pastorais da Juventude contemplam as estrelas de um lugar privilegiado: Brazabrantes, na sua Plenária Nacional. Trouxemos nas mãos sonhos, angústias, esperanças, sorrisos, abraços dos diversos cantos do País. Várias realidades e um mesmo sonho: preservar e defender a Vida da Juventude.
    Celebramos o prazer de estarmos em comunidade a fim de refletir nossa caminhada conjunta a partir dos clamores da 15ª Assembleia Nacional da PJB, suscitando um reencantamento pela proposta que brilha intensa e carinhosamente nos olhos de cada um/a. Em comunidade, contamos com a presença de Pe. Carlos Sávio - assessor do Setor Juventude/CNBB, a jovem Janaína Cesar - Ministério Jovem da Renovação Carismática Católica e do assessor da Plenária, Pe. Wander Torres Costa.
    Provocados pela teatralidade acolhedora dos/das jovens da CAJU - Casa da Juventude Pe. Burnier, sentimos a irreverência e a beleza da coragem evangélica que iluminou nossas discussões.
    O estudo da Reforma Agrária, Segurança Pública, Trabalho e Educação Popular trazidos por companheiros envolvidos na causa – Pe. Dirceu - da CPT, Pe. Geraldo Marcos Labarrère Nascimento - da CAJU, Carlos Marcelo - da PJMP e Hugo Leonnardo Cassimiro - Ação Gestionária - nos fizeram olhar a realidade de forma crítica e cuidadosa.
    Partilhamos os nossos sonhos que perpassaram pelos mais variados contextos espalhados pelo nosso chão. Fortalecimento do conjunto das PJ’s, anúncio de um Cristo que ama e liberta aos povos empobrecidos, memória da nossa história, respeito às especificidades, escuta da realidade, amor incondicional pelos/as jovens, espaços comuns nos Regionais dentre tantos outros desejos que se fazem clamores.
    Os passos percorridos na Escola, Igreja, Campo e na Rua recordaram a Boa Nova de Emaús, nos convidando a sermos caminheiros em mutirão, estarmos inseridos nas diferentes realidades e reafirmamos nossa opção pelos pobres.
    As bandeiras de luta que tremulavam nos nossos corações foram reorientadas: por uma Igreja de comunhão e participação, pelo fortalecimento das PJ’s, por um projeto popular para o Brasil e contra a violência o extermínio de jovens, tendo em vista a nossa Campanha Nacional. Fazendo com que elas dêem prioridade ao direito de ser jovem e a construção do projeto de vida, elementos que aparecem de forma simultânea permeando o chão de nossas ações.
    No desejo das Pastorais da Juventude continuarem sua caminhada em comunidade, de animar a vida e a luta, as Cirandas de Comunhão e Participação surgem como um novo jeito de nos organizarmos.
    E devagarzinho, como quem chega ao entardecer tendo a certeza de que o povo vai chegando em suas jangadas e se juntando à beira-mar. Dando as mãos, sentindo o calor do outro, sentindo a comunhão e a participação de cada jangadeiro/a. Partilhando os frutos do seu trabalho colocando-os em comum cantando, cirandando, encantando e sendo encantados, pela força das batidas das palmas e dos pés que marcam o passo e fazem o mundo girar.

     

    Brazabrantes, GO, 01 de agosto de 2010.
    Pastorais da Juventude do Brasil
    PJ – PJE – PJMP – PJR









    Autor/Fonte: Pastorais da Juventude do Brasil

    domingo, 1 de agosto de 2010

    Eleições 2010: a vida cobra sua parte

    “Buscai primeiro o Reino de Deus e a sua justiça” – (Mt 6.33)

    O ano de 2010 traz uma tarefa especial para nós, cristãos/ãs: a eleição de nossos/as representantes para as Assembleias Legislativas, Câmara Federal, parte do Senado, Governadores/as e a Presidência da Republica.
    Pensando nesta tarefa, é importante lembrar que vivemos, no Brasil, um contexto ocidental, regido pelas leis selvagens do sistema capitalista, que estrutura nossas vidas através das imposições do mercado e do consumo, querendo indicar que esse é o caminho para nossa felicidade. Este sistema estabelece a ganância por lucro a qualquer preço, promovendo um crescente distanciamento entre ricos/as e pobres, pela concentração progressiva da renda nas mãos de poucos/as e a exclusão para a maior parte da população.
    Os/as jovens chegam ao mundo no meio desta desordem armada e sofrem as piores consequências. Por um lado, é exigido deles/as atenção para os últimos lançamentos da moda, da música, do lazer, das relações, da tecnologia… e, por outro, não lhes é permitido entender como funciona a sociedade. Eles/as se tornam presas fáceis das armadilhas do caminho. Acreditam na grande mentira de que rico é quem trabalhou e pobre é quem não trabalhou suficiente; acreditam que pessoa de bem é quem tem posse e polidez social e que o povão, que não pode se vestir bem, que não sabe ao certo como se portar e/ou como falar em público, é “desqualificado”, é cidadão de segunda categoria. Não enxergam o mecanismo da estrutura que direciona a riqueza para as mãos de uns e retira de outros/as…



    A Igreja Latino-Americana, desde 1979, na Conferência Episcopal em Puebla, afirma que a situação que vivemos é um escândalo e uma contradição com o ser cristão de nosso Continente (n. 28); que se opõe às exigências do Evangelho (n. 1257); é contrária ao Plano do Criador (n. 28); é situação de pecado social (n. 28, 487); o que demonstra que a nossa fé “não teve a força necessária para penetrar os critérios e as decisões dos setores responsáveis da liderança ideológica e da organização da convivência social e econômica de nossos povos” (n. 437).



    A memória de Inácio de Loyola recorda que o modo de proceder, a partir de uma espiritualidade que tem como centro o seguimento a Jesus Cristo, se atualiza no serviço da fé e na promoção da justiça do Evangelho, por dirigir seu ministério “a quem está à margem na Igreja e na sociedade, àqueles a quem se lhes nega dignidade, a quem não tem voz ou não tem poder, a quem é fraco na fé ou dela se afastou, a quem viu seus valores debilitados pela cultura contemporânea, a quem leva um peso superior a suas forças” (CG.34 6:12), conforme reflete Libânio.
    A partir destas reflexões, ressaltamos que em um ano eleitoral, é preciso participar do debate, informar-nos, não fazer vista grossa à Palavra de Deus, não abrir buracos onde se possa cair, pois a VIDA, como o tempo, cobra a sua parte.

    (fonte: Conselho Diretor da Casa da Juventude Pe. Burnier, www.casadajuventude.org.br)