• terça-feira, 7 de dezembro de 2010

    Jovens partilham experiências e apostam no potencial da diversidade para evangelizar a juventude

    Três jovens representantes da Pastoral da Juventude (PJ), Hildete Emanuele; Comunidade Canção Nova, Adriano Gonçalves; e Renovação Carismática Católica (RCC), Rafael Busato; participaram de uma mesa redonda na tarde deste sábado, 4, no 1º Encontro Nacional de Movimentos Juvenis, que acontece desde ontem, em Vargem Grande Paulista (SP), no Centro Mariápolis Ginetta.
    O momento teve por objetivo expor as experiências dos três jovens nas diferentes expressões juvenis. Histórias semelhantes, que passam pelo sofrimento familiar, perda de amigos e pobreza; Adriano, Hildete e Rafael têm em comum o trabalho de evangelização da juventude, missão vivenciada e amadurecida em diferentes segmentos jovens da Igreja Católica.
    Rafael, de Curitiba (PR) trabalha com jovens há 10 anos. Nesse período ele tem se dedicado a evangelizar outros jovens através da pregação do Evangelho, mas acredita que mais do que isso deve ser feito para conquistar outros jovens para a Igreja. “Como jovem cristão católico me sinto na obrigação de evangelizar outros jovens e conquistá-los para Jesus, mas percebo que de maneira isolada, nenhuma expressão juvenil consegue alcançar todos os gostos dos jovens da atualidade”, destacou o carismático, que acredita que o Setor Juventude da CNBB é o espaço de comunhão de toda a juventude católica brasileira.
    A oportunidade do conhecimento da diversidade de carismas jovens, durante o encontro, foi outro ponto enfatizado por Rafael, que aposta na união das diferenças para o alcance pleno da evangelização da juventude. “Acho difícil acontecer uma evangelização de verdade se os diferentes segmentos jovens não se encontram e não se conhecem. Todos nós temos uma identidade única de cristãos católicos, mas com algumas maneiras diferentes de trabalhar, porém, todas com uma riqueza e o objetivos comuns para evangelizar a juventude”.
    Hildete Emanuele fez sua exposição falando da própria realidade que viveu em Salvador (BA) quando criança. Ela nasceu e cresceu na periferia da capital baiana. Com um ano de idade, perdeu o pai e o esforço da mãe para criar sozinha os filhos, marcou a vida de Hildete para sempre e foi primordial para definir os rumos que a jovem tomaria. “A realidade pessoal motivou muito a ser a Hildete que sou hoje. Tudo que fiz, a trajetória na Igreja é para agradecer minha mãe pela vida doada e a mulher que ela é”, disse.
    Foi na comunidade que Hildete passou a participar da PJ e a amar a juventude. Essa relação já dura 15 anos. “Foi na comunidade que aprendi a ser Igreja, a conviver com o diferente, a amar a oração, a Palavra de Deus e a Eucaristia. Desde a comunidade, essa relação só fez crescer”, conta a jovem, que deve deixar a função de secretária nacional da PJ no próximo ano por já ter completado o ciclo juvenil na sua vida. Hildete vai fazer 30 anos, metade da vida dedicada aos jovens.
    A mesa redonda que reuniu PJ, RCC e CN é para Hildete motivo de alegria por representar o espaço de diálogo e escuta do outro para a concretização da comunhão e evangelização da juventude. “É ouvindo o outro que poderemos responder aos apelos da juventude de hoje e resolver os desafios que vemos na sociedade. Não dá para viver isolado nesta, precisamos caminhar de mãos dadas na oração e na missão”, destacou a pejoteira.
    O mineiro Adriano Gonçalves, quando criança, sofreu com o alcoolismo dos pais. Quando completou 15 anos saiu de casa com o objetivo de se “vingar dos pais” por meio do alcoolismo e da vida nas ruas, decisão que só afetou a si. O jovem contou que sua vida começou a mudar depois que conheceu a nova comunidade Canção Nova. “Eu tive uma chance e hoje evangelizo outros jovens. Hoje estou aqui para dizer que é importante esse primeiro passo dado pelo Setor Juventude da CNBB em trabalhar pela comunhão de todas as expressões jovens de todo o Brasil a partir das diferenças”, disse Gonçalves, que acredita que a continuação do ENMJ é indispensável para o amadurecimento da comunhão e diálogo das expressões juvenis. “A continuação do encontro é importante porque percebi aqui que os jovens estão sedentos de unidade, de parcerias e de uma fé aberta para o diálogo e a comunhão”, enfatizou Adriano.
    A mesa contou ainda com a presença do bispo referencial do Setor Juventude da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, dom Eduardo Pinheiro, e do assessor do Setor, padre Carlos Sávio.
    Encerrou as ativades deste sábado uma procissão luminosa com adoração ao Santíssimo Sacramento, na Igreja Jesus Eucaristia. Um show com a banda Rosa de Saron, ainda hoje, será o momento de animação dos 300 jovens reunidos no 1º ENMJ.

    Fonte: Boletim Diário da CNBB, 06 de dezembro de 2010

    Reações:

    0 comentários:

    Postar um comentário