• segunda-feira, 13 de setembro de 2010

    Quinto dia: fazer memória, repensar a organização e consolidar novos paradigmas

    Na caminhada de revitalização, o Congresso deu mais um passo nesta quinta, iniciando o dia com a missa e retomando, logo a seguir, os paradigmas construídos em grupo das sagradas escrituras e de Aparecida. Para dar o novo passo, com base na exposição da jovem Gabriela, da Bolívia, e do Padre Hilário Dick, do Brasil, construímos a terceira e última vertente de paradigmas orientadores da ação da pastoral da juventude latino americana e de nossa missão como discípulos missionários propostas pela metodologia: a partir da iluminação da trajetória histórica e organização.
    A jovem Gabriela expôs sua trajetória pessoal de aproximação com a pastoral juvenil e com a Igreja, apontando momentos, pontos e ideias chave do entrelaçamento destas histórias. Pe. Hilário iniciou sua exposição ressaltando que reúne-se neste Congresso a organização juvenil mais significativa da América Latina, provocando-nos a pensar a que distância estamos da apropriação desta história maior. Destacou também a característica mais profunda da juventude: a construção de autonomia e do protagonismo. “O único instrumento concreto para a construção da autonomia é a organização.” - afirmou.
    A parte da tarde foi dedicada à construção dos paradigmas com base nestas iluminações e nos demais elementos acumulados no processo de preparação ao Congresso e a partir das realidades de cada região do continente.
    A noite iniciou com um trabalho de ressonância de todos os paradigmas consolidados dos três eixos e finalizamos o dia com uma celebração da reconciliação, na perspectiva de que está é um ingrediente fundamental da etapa do discernimento.
    A delegação brasileira tem feito várias reuniões e encaminhamentos sobre a contribuição de nosso país neste processo de revitalização, sobre como traduzir de forma fiel a realidade dos grupos de jovens brasileiros, e como levar de volta ao país as inspirações e linhas construídas aqui.

    Reações:

    0 comentários:

    Postar um comentário